Isso é ciência!

"Toda a nossa ciência, comparada com a realidade, é primitiva e infantil - e, no
entanto, é a coisa mais preciosa que temos." (Albert Einstein)








sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Ser ou não ser, ter ou não ter, fazer ou não fazer...? Eis as questões!

A sociedade nos obriga a tomar decisões cada vez mais rápidas, cada vez mais decisivas, cada vez mais precipitadas. A objetividade torna-se mais intensa, de maneira que não podemos mais sonhar, querer, pensar, viver. E é nesse universo de inconstantes e sem emoções que o ser humano (se podemos continuar a chamar de ser) está inserido. A sociedade nos priva do melhor da vida: o viver. Será, então, que estamos efetivamente em uma democracia, quando somos cativos de nós mesmos? Viver é pensar, agir, chorar, querer. Viver é... viver!
  • Ser ou não ser? Ter ou não ter? Fazer ou não fazer?...
Por séculos, filósofos tentam descobrir a essência do ser. Desde a Grécia Antiga, filósofos pós-socráticos humanistas, meditavam sobre o que era o ser humano, o que, realmente, os seres tinham para serem diferentes, singulares. E te digo uma coisa: até hoje a Filosofia não chegou em nenhum consenso. Assim, qual a essência do ser? O que realmente somos, o que não somos? Aliás, ser ou não ser?
Aflições, conflitos sentimentais, desejos ditos impossíveis... Quanto mais vivemos, mais nos sentimos apertados com tudo aquilo que nos rodeia. Parece que nossa vida é um caos e que isso nunca vai acabar. Por quê sentimos isso?
É interessante e bonito olhar para uma criança e perceber quão necessitada ela é. Comer, fazer suas necessidades, estudar, aprender, falar, dançar, chorar... Ela faz tudo por necessidade. E os pais, com um amor que ainda é inexplicável para mim, faz do nada um tudo, faz do surreal o momento presente. Se necessário, deixam até mesmo de se alimentar para possibilitar o essencial para seu "banbino". Ou seja, privam-se do pouco para entregar o tudo. Com isso, possibilitam a perpetuação da espécie, fazem com que a vida continue a fluir.
E é esse dinamismo da vida que me surpreende. Até certa época da vida, nós temos todas as nossas decisões sendo tomadas por nossos pais. É ótimo. Eles, efetivamente, sabem o que é o melhor para nós, o essencial, sem excedentes nem deficiência. Mas, e quando nos sentimos sozinhos, sem o amparo que sempre tivemos ali? Qual decisão seguir? O que fazer? Ser ou não ser?
Somos obrigados a tomar decisões. Nas tem saída. A grande questão é quando estaremos totalmente aptos para tomar NOSSAS decisões. O mundo é realmente cruel porque nos obriga a fazer ou não fazer sem pensar, porque é preciso ter ou não ter sem sequer saber no que vai dá, já que o seu ser, ou o não ser, tem de estar preparado a qualquer hora. A vida é sofrida. Erros são até aceitáveis e perdoados, ao menos que esses não sejam cometidos periodicamente.
Mas, o incrível realmente é saber que esse mundo tão cruel nos possibilita viver com paz, alegria, satisfação. Ou será que ele não nos condiciona a viver desta maneira?
O mundo não nos mostra caminhos, as vezes nos priva das pessoas que nos ajudam a tomar decisões importantes, é cruel conosco e ainda nos obriga a viver nele se quisermos continuar vivendo. Intuitivamente, algo tão cruel assim não poderia nos possibilitar tais maravilha, a paz em meio a destruição, a alegria enquanto há choro, sorissos em meio a guerra, amor em meio ao ódio. Deus nos faz pensar para só depois agir. O mundo nos faz agir para só depois pensar. O pensamento humano é algo extreodinário, incrível e que nos diferencia dos demais seres: nós somos racionais. E o que quer dizer a palavra racionalidade? Pelo Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, racionalidade é: propensão para encarar fatos e idéias de um ponto de vista puramente racional. Usar a razão, pensar antes de agir, é uma capacidade inerente ao ser humano. Fomos privilegiados por Deus com a capacidade de pensar. O ato primário é o pensar, o ato secundário é o agir. Deus nos faz ser, Deus nos faz fazer, Deus nosa faz ter, porque Ele nos faz pensar conseguinte o ideal. Não importa se em algum momento eu agi sem pensar, se eu naum tive, se eu não fiz, se eu nau fui. Nesse momento eu ergui a cabeça e clamei: Pai, faz-me um ser que tenha.
O mundo nos faz não ser, não ter, não fazer. Mas Deus nos faz ser porque temos com Quem fazer.
Deus abençõe a todos nós!

Um comentário:

Ivana disse...

x) Wesley!! Que texto maravilhoso! Acredita que me falaram que ler era muito "gasto de energia"? Acho que seu pai voaria no indivíduo que fez esse comentário... kkkk

Mas pode deixar que dei uma boa resposta... É, concordo, porém amo fazer tal desprendimento de energia rsrss;

Além do mais, existem textos que alimentam de uma forma que é impossível deixar de lê-los até o fim com um gosto de quero mais...

Puts!kkk Deixa eu concluir rsrs... Acabei de matar minha fome kkkk simplesmente, ser ou não ser cara??Deus ou o vazio?? kkkk

Adorei! :*